15-09-03

O Tebu

O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

Salmo 18.2

Duas garotas estavam falando suavemente em uma cela da polícia – não em árabe, mas Tedaga . Uma das policiais na prisão também falava sua língua.

Elas haviam sido presas por embriaguez (que não estavam) e estavam amaldiçoando os líbios para prendê-las injustamente. Elas estavam com medo de que suas famílias descobrissem que elas estavam na prisão (trazendo desonra sobre sua família ) então elas ligaram para casa e inevntaram uma história. Uma delas estava treinando para ser uma enfermeira, então pediram a um guarda para fingir que era um médico e dizer que ela teve que trabalhar até tarde.

Uma das mães ligou, às três da manhã, e após a ligação a garota pegou o produto de limpeza e tentou engoli-lo, mas a outra menina lutou com ela no chão e pediu ao guarda para trazer leite como antídoto. O guarda a forçou a tomar leite e ela dormiu.

No dia seguinte, um tio veio, conversou com o guarda por um longo tempo, deu comida para as garotas e por fim saiu.

As meninas e a policial eram Tebu. OsTebus na Líbia eram da tribo Teda e vivem no canto sudeste da Líbia perto de Kufra. Antes da guerra civil da população aproximada de Teda era 4.000 na Líbia, 10.000 no Níger e no Chade 28,500.

Eles eram em sua maioria pastores nômades ou semi -nômades, mas também cultivavam tâmaras e grãos nos oásis. Clãs tem uso prioritário em certos oásis, palmeiras, terras cultiváveis ​​e nascentes. As relações sociais são baseadas na reciprocidade, na hospitalidade e assistência. Roubo e assassinato dentro do clã é proibido e os animais roubados devem ser devolvidos .

Sob Muammar Gaddafi , a minoria Tebu (Toubou)  sofreu discriminação maciça. Em 2007 eles foram despojados de sua cidadania líbia e foi negado o acesso à educação e cuidados de saúde. Em 2008, um grupo armado – o TFSL ( Toubou Frente de Salvação da Líbia ) encenou uma revolta contra o governo. O regime de Kadhafi continuou a expulsá-los e demolir suas casas.

Durante a revolução de 2011, Tebu ficou com as forças rebeldes anti Gaddafi e participou da campanha Fezzan, capturando diversas cidades.

Eles se auto denominam “ O povo da Rocha”, pois sua pátria ancestral era as Montanhas Tibestis.

Ore para que eles encontrem a verdadeira Rocha e construam suas vidas Nela.

Leia, medite e ore Mateus 7.24-27 


15-08-20

Tripoli

Antes, como está escrito:Aqueles a quem não foi anunciado, o verão,E os que não ouviram o entenderão.”

Romanos 15:21

Tripoli, capital da Líbia e maior cidade (com população de 2 milhões)  está situada no noroeste da Líbia, ao longo da costa mediterrânea. Até Julho de 2014, pós- revolução, Tripoli foi relativamente estável em comparação com a segunda maior cidade da Líbia no leste, Benghazi. Tudo isso mudou depois que os islâmicos perderam o legislador em  25 de junho de 2014 durante a eleição popular.

Poucas semanas após as eleições, combates entre militantes eclodiram nos aredores do  Aeroporto Internaticonal de Tripoli, durando quase seis semans e deixando 47 mortos e 120 Airport, lasting almost six weeks and leaving 47 dead and 120 feridos. O aeroporto e milhões de doláres em aeronaves foram destruídos, e um enorme incêndio aconteceu no repositório de petróleo perto do aeroporto. Isso causou semanas de escassez de combustível, comida e energia para os residentes de Trípoli.

A Operação Amanhecer Líbia finalmente assumiu o controle do aeroporto, e três dias depois, membros do antigo governo Congresso Geral Nacional ( GNC ) estabeleceu o Governo de Salvação Nacional com Omar Al- Hassi como primeiro-ministro. Em 01 de setembro, a maioria dos ministérios do governo em Trípoli foi tomado por milícias armadas .

Enquanto isso, o governo legitimamente eleito, liderado pelo primeiro-ministro Abdullah Al- Thinni, fugiu da capital e buscou refúgio na cidade de Tobruk. No início de agosto, a maioria das embaixadas ocidentais e árabes , bem como a Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia ( UNSMIL ), tinha tirado o seu pessoal de Tripoli e estavam agora trabalhando a partir de Malta e Túnis.

Poucos estrangeiros estão agora vivendo na cidade, e o valor da moeda da Líbia caiu quase 50%. Os preços estão subindo enquanto distribuições do governo estão diminuindo e mesmo assim as condições de vida melhoraram na capital durante o ano passado. As pessoas têm eletricidade, combustível e comida , mas a cidade continua instável. Em Novembro de 2014, a icônica estátua Ghazalla de Tripoli foi destruída, e tem havido ataques a uma série de santuários sufi Ottoman-era  na cidade. Em janeiro de 2015, o maior e mais moderno supermercado de Trípoli foi incendiado pelos extremistas, e mais tarde naquele mês houve um ataque terrorista no luxuoso Corinthia Hotel, matando 13. Sequestros por criminosos também estão aumentando e grandes quantias de dinheiro são pedidas para o resgate. Mesmo que na superfície as coisas parecem mais calmo do que o leste do país, há sempre essa corrente subjacente de medo.

Apesar dos combates em alguns bairros e o perigo que algumas crianças ( e suas famílias) enfren tam para ir à escola, eles fazem o seu melhor para assistir às aulas, pois isso dá a eles uma oportunidade de sair da casa e se  ocuparem.

Vamos tirar um tempo essa semana e elevar essa cidade ao Trono de Deus, que seus habitantes clamem pelo Deus vivo e achem sua Verdade, paz e segurança.

Leia, medite e ore Jeremias 29.12-14 


 15-08-14

Milagres

E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades. E enviou-os a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos.

Lucas 9:1-2

Joy,umas seguidora de Jesus, foi à Líbia com seu marido e seus filhos para procurar um emprego com melhores oportunidades. Durante os anos ela cresceu perto de seus vizinhos líbios. Eles notaram sua devoção à Deus e se surpreenderam em saber que ela também jejuava, mesmo não sendo muçulmana.

Um dia, uma empregada de Joy, Asma, disse a ela que tinha câncer. Ela teria que ir para cirurgia e estava com medo de morrer. Mas Joy disse à ela, “Você não morrerá. Se você acreditar em Jesus e eu orar por você, você irá para cirurgia e não morrerá.”

Joy colocou sua mão sobre o abdomêm de Asma e orou por cura em nome de Jesus. A operação era em outra cidade, mas ela manteve contato com Joy, e ela estava muito agradecida pois tinha sobrevivido.

Assad é um cristão. Ele ficou doente e todos acreditaram que ele morreria. Deus irá puni-lo, pois ele se virou contra o Islã, eles pensaram. Entretanto, por meio das orações dos cristãos, Deus o curou milagrosamente. Quando sua vizinha, Hana, descobriu sobre sua recuperação, ela decidiu seguir a Jesus, pois assim Ele iria cura-la também de seu câncer. Os médicos pensavam que ela já estava morta, mas através das orações de muitos ela ficou mais forte.

Por meio da obediência daqueles que seguem a Jesus, líbios podem testemunhar que há poder no nome de Jesus. No Corão também há menção de que Jesus curou o doente. Vamos orar para que o poder de Jesus seja revelado por milagres.

Leia, medite e ore Atos 4.1-14


15-07-30

Acesso à Palavra de Deus

“Mas a Palavra não pode ser aprisionada.”

2 Timóteo 2.9

A Bíblia, assim como outras literaturas cristãs em árabe, não eram bem vindas na Líbia sob as regras de Ghaddafi. E hoje ainda não são.Abeer, umas mulher árabe de outro país, tem uma forte amizade com uma vizinha líbia, Asma. Asma foi generosa e deu presentes e roupas para as crianças de Abber. Aceitar e receber presentes é importante na cultura líbia. Para demonstrar apreciação e amizade, Abeer quis dar a Asma uma bíblia, mas Asma recusou. “Isso é errado”, ela disse. “Se eu aceitar, eu posso ser considerada uma infiel. Deus vai pensar que eu sou má.”Mohammed era um policial vigiando um cristão que estava preso na delegacia. Mohamed estava muito curioso sobre o que o cristão possuía. Ele havia ouvido sobre a bíblia – e como ele não poderia ler. Mas isso só aumentou sua curiosidade. Ele perguntou se poderia ver a bíblia e o cristão deu a ele, apontando algumas passagens e explicando como os Salmos trouxeram conforto e sobre o que era o Evangelho. Mohamed devolveu a bíblia para o prisioneiro e foi embora. Mas alguns minutos depois ele voltou. Ele queria mostrar aquilo para seu amigo.Muçulmanos acreditam que o profeta Mohamed recebeu a primeiras revelação do Corão durante o mês do Ramadã. Alguns versos do Corão na verdade encorajam as pessoas a lerem a bíblia, mas ainda existe muito medo e resistência que impedem as pessoas de fazerem isso. Mesmo assim o Espírito Santo usa esses versos do Corão e também o fato de que a bíblia é proibida na Líbia para instigar a curiosidade de pessoas sobre a bíblia e Jesus.Agora pessoas podem fazer o downloads da bíblia em árabe em web sites e celulares. Isso é possível devido  a falta de governo central. Mas pessoas ficam com medo de que grupos extremistas possam hackear seus computadores ou celulares para marcar e matá-los. Medo ainda mantém pessoas cativas e longe da Verdade.

Enquanto meditamos na passagem dessa semana, ore para um aumento no desejo e curiosidade pela leitura da bíblia. Para que o Espírito abra seus entendimentos.

Leia, medite e ore Lucas 24. 25-27 ; 44-46


 15-07-23

Tráfico sexual

“Tu, Senhor, ouves a súplica dos necessitados; tu os reanimas e atendes ao seu clamor. Defendes o órfão e o oprimido, a fim de que o homem, que é pé, já não cause terror.”

Salmo 10:17-18

Tráfico humano é um comércio lucrativo na Líbia. Sob as regras de Ghaddafi, tráfico era uma indústria sancionada e controlada pelo governo. Alguns traficantes com boas conexões controlavam a maior parte do trânsito de migrantes da África Subsaariana para a Europa. Depois da revolução de 2011, o tráfico tornou-se um negócio mais próspero e caótico. Qualquer pessoa com algumas conexões estratégicas poderia tomar parte a indústria de milhões de dólares do tráfico.

O lado escuro do negócio aparece quando os migrantes não podem mais pagar o transito. Em alguns casos migrantes são mantidos em centros de detenção, torturados, vendidos à campos de trabalho, vendidos como escravos sexuais ou mortos. Esse tratamento brutal é um mal compartilhado com o regime formal. Ghaddafi mesmo era famoso por vitimizar centenas de escravos em masmorras sexuais privadas.

Uma testemunha do tráfico sexual na Líbia disse, “ Eles simplesmente pegavam a garota que queriam. Eles não tinham consciência, moral, nem um gota de misericórdia mesmo se ela fosse uma mera criança.” Outro reportou, “Uma simplesmente desapareceu e eles nunca mais a encontraram, mesmo seu pai irmãos procurando por ela. Outra foi achada três meses depois, cortada, estuprada e jogada no meio de um parque. Ela foi deixada para morrer.”

Apesar desses grandes males, nos alegramos em Deus,o qual segura esses esquecidos em Suas mãos. Ele nunca se esquece da dor deles ou os deixa sozinho. Use o Salmo abaixo para clamar em favor dos escravos na Líbia.

Leia, medite e ore Salmo 10 


15-07-16

Solidão

Deus dá lar aos solitários.

Salmo 68:6

Há algumas igrejas construídas na Líbia onde cristãos de outros países se reúnem para adorar. Líbios, por outro lado, são proibidos, pelas autoridades e pela sociedade, de ir nesses lugares.

Jesus apareceu a Rafiq quando ele era adolescente. Foi um momento glorioso que teve grande impacto nele. Pouco depois disso ele conheceu um parente mais velho, um seguidor de Jesus que o explicou o evangelho. Naquele momento, Rafiq decidiu seguir a Jesus.

Muitos anos se passaram, mas Rafiq ainda segue a Jesus. Ele se sente sozinho às vezes. Ele nunca esteve em uma igreja e deseja ir a uma reunião de crentes – pessoas de sua própria nação – para adorarem juntos. Mas ele é proibido de visitar igrejas de expatriados. Ele realmente gostaria de ver como é quando crentes se unem. Ele nunca experimentou isso. Ele ama estudar a bíblia, mas anseia por amizade.

Outro líbio conta sua história: “Muitos anos atrás  fui à uma igreja da expatriados na cidade a fim de confessor minha fé em Jesus. Entretanto, o pastor se recusou a me conhecer. Um dos demais da igreja falou comigo. Eu lhe disse “ Sou líbio.” Ele disse, “Isso é impossível, você não pode ser líbio.” Respondi, “ A verdade nos liberta e eu estou vivendo no amor de Cristo.”

Quando eu deixei o prédio percebido o porquê do pastor se recusar a me conhecer – havia policiais esperando no meu carro. Um me pediu para ir e falar com ele em seu carro. Ele me falou que eu era louco. “O que você pensa que está fazendo?” ele perguntou. Eu respondi que estava estudando religiões diferentes e que eu não sabia que não deveria ir à igreja. Antes de eu ir embora ele me pediu meu número de celular, endereço, onde eu estava estudando e outras coisas. Por causa disso eu não mais pude voltar à igreja. Quando eu perguntei a meu amigo sobre isso, ele me falou que a igreja era proibida de pregar em meu país e que qualquer que se convertesse ao cristianismo enfrentaria morte.

Uma das maiores dificuldades para os líbios seguirem a Jesus é a solidão. Eles anseiam por amizade com outros crentes e por encorajamento para permanecerem fortes na fé. Nós como corpo de Cristo, podemos encorajar e fortalecer nossos irmãos e irmãs líbios por meio de nossas orações.

Essa semana, muçulmanos celebram o Eid al Fitr, jejum de três dias que marca o fim do Ramadã, o mês santo de jejum. Cristãos líbios podem sentir mais ainda o desjeo por uma família espiritual para celebrar sua fé em Jesus nesse período.

Leia, medite e ore 1 Coríntias 12.12-17


15-07-09

A Porta Estreita

“Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela.”
Mateus 7:13

Ahlam sempre acreditou que Deus a criou e amou. Aos seis anos, ela começou a orar e jejuar. Ela amava ler o Alcorão, gritava seu amor por Deus. Ao mesmo tempo em que tinha dúvidas ela não se atrevia a perguntar, pois não queria deixar Deus com raiva.

Uma noite ela sonhou que estava num lugar escuro cheio de cadáveres e crânios. Uma mão brilhante a alcançava pegava pela mão e levantava. Ela tentou rejeitar e sentiu sua mão cair, mas a brilhante mão não a deixou ir. Ela gritou e pulou da cama. Estava perturbada e sentia que não era um sonho normal, então ela pediu a Deus para explicar a ela.

Um dia enquanto passava os canais de TV, ela viu um pastor dizendo “Deus te levanta da morte para a vida. ’ As palavras a entraram com uma flecha e ela se perguntou, estava ela morta e poderia o Senhor lhe dar vida?

Ahlam suplicou a Deus para mostrar a ela o caminho certo.  Cinco vezes por dia ela fazia o ritual de limpeza que precede as orações, mas ela sentia Deus falando que Ele podia escutar suas orações sem a limpeza. Enquanto ela se ajoelhava em seu tapete de oração, Deus falava que podia escutá-la em qualquer lugar. Mas Ahlam não estava pronta para deixar esses rituais ainda.

Então, em outro sonho, ela viu uma luz brilhante sem inicio nem fim. Seu espírito deixou o corpo e ela se encontrou em uma pequena porta que levava ao céu. Antes de entrar ela disse, “No nome de Jesus, Aquele que vive de Nazaré.” Um anjo falou e lhe deu um Noé novo. Alegria tomou conta dela nesse lugar de paz.

Nos dias que se seguiram, Ahlam pediu a Deus para ensiná-la enquanto ela lutava com a dúvida. Ela assistia a TV quando alguém leu, “Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela”. Daquele dia em diante ela acreditou em Jesus. Ela começou a ler a bíblia  e a medida que seu relacionamento com Deus crescia, ela sabia que estava sendo transformada em uma nova pessoa no Espírito.

“Todos os dias sou limpa por dentro,” Ahlam diz. “Jesus mudou meu caminho, eu vejo os outros e a forma como ajo.”

Adore ao Senhor que ama todas as pessoas. Ele os convida para Si dizendo “Aqui estou eu, batendo na porta”

Leia, medite e ora Efésios 2


15-07-03

Um desejo por Perdão

“Somos como o impuro — todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniqüidades nos levam para longe.”

Isaías 64.6

No Ramadã muitos muçulmanos praticam sua fé com mais fervor, esperando que seus pecados sejam perdoados. Um irmão líbio compartilha parte da sua jornada de encontro com Jesus:

Minha família é muito amorosa e doadora. Meus pais fizeram seu melhor para me dar tudo que eu precisava. Nós éramos uma família normal que enfrentava lutas normais, as quais nunca eram maiores do que conseguíamos lidar.

Eu comecei a orar com fé quando era adolescente. Aos dezesseis eu me tornei muito devoto ao  ritual de oração e dedicava o máximo de tempo possível para oração. Mas eu não ia às orações de Sexta na mesquita, pois eu pensava que as pessoas eram hipócritas e até os sermos do Sheikh pareciam cheios de palavras fabricadas e repetidas.

Mesmo com todas as minhas orações, eu sentia que Deus estava muito longe de mim. Parecia que todas as minhas orações se acumulavam no chão e eu não encontrava respostas de Deus. Desde meus anos de adolescentes, eu sempre acreditei que a razão para o silêncio de Deus era meu pecado, o qual era uma barreira me impedindo de avançar na vida. Eu me odiava por causa do pecado. Eu orava fervorosamente às 3 e 4 da madrugada. Iria chorar e rezar, pedindo a Deus para se aproximar de mim e me proteger da minha culpa e do pecado. Mas nunca recebi resposta de Deus. Senti como se Ele não me aceitasse e que não iria me perdoar.

Tristeza era minha companhia e o pecado meu inimigo. Me dediquei a ler o Alcorão e tentei ler o livro inteiro durante o Ramadã, como muitos muçulmanos aquele mês. Eu falhei, e aquilo foi uma grande decepção para mim. Eu orei “Perdoe a minha culpa, O Senhor, pois é grande.”

Eu amava ir para o litoral e outros lugares isolados a fim de buscar solitute e me achegar a Deus em orações com lágrimas. Eu permanecia angustiado pelo meu pecado. Algo continuava a me dizer que isso nunca me deixaria. Eu sabia que era o Diabo, o qual quer destruir toda a humanidade. Eu procurei resposta na internet. Falei com líderes religiosos sobre pecado, mas suas palavras eram odiosas e me deixaram com mais medo. “Deus irá te amaldiçoar no dia da Ressurreição!”, ele disse. “Você é como um carvão em brasa no inferno e não pode mudar sua vida – você queimará no fogo.” Eu estava vivendo em um mar de medo.

Com um enorme desejo por perdão, esse líbio eventualmente veio a conhecer Jesus. No Ramadã, muitos líbios irão orar mais e ler o Alcorão buscando perdão. E ainda assim eles se sentirão desapontados e vazios. Use o Salmo abaixo para clamar em favor dos líbios. Ore para um aumento no desejo por perdão, o qual os levará a clamar por Deus.

Leia, ore e medite Salmo 51


15-06-25

Aproximando-se de Deus-

a história de um crente

Assim diz o Senhor: “Ponham-se nas encruzilhadas e olhem; perguntem pelos caminhos antigos, perguntem pelo bom caminho. Sigam-no e acharão descanso”.

Jeremias 6.16

“Eu sou um Líbio com passado islâmico. Aceitei a Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador e sei que Ele foi, é e para sempre será o caminho, a verdade e a vida.”

“Quando eu era mais novo, costumava ler e praticar qualquer coisa que eu achasse que me aproximasse de Deus. Até que uma noite, muitos anos atrás, durante o mês do Ramadan. Após terminar minhas orações, ouvi um estrangeiro na televisão falando de que Deus veio pagar as penalidades dos pecados que nos cometemos. Eu ouvi como Deus tinha nos perdoado e oferece vida eterna se aceitarmos Seu trabalho na cruz. Algo estalou em mim. Isso era diferente da história que eu tinha aprendido no Corão, eu queria mais. Eu me senti como se eu tivesse sido drogado e levado por uma estrada sem saída durante todos esses anos de pesquisa.”

“Eu assisti programas de televisão cristãos e Deus corrigiu o meu entendimento obscuro e satisfez minha fome de conhecê-Lo. Na época, a televisão era a única maneira disponível para aprender sobre Ele.”

“Depois de algum tempo, percebi que eu precisava de Jesus na minha vida. Vi que Ele não era apenas um profeta que deu um exemplo de justiça, mas Ele também era o meu Deus, o qual me amou. Ele próprio tinha se sacrificado na cruz para me salvar e me dar esperança, vida e conforto – especialmente durante os períodos mais difíceis da minha vida.”

“Eu tinha muitas perguntas teológicas, mas com a oração o Senhor gradualmente revelou-me todas as respostas, e eu vim para o verdadeiro caminho nEle. Amém “.

Neste mês (Ramadan) líbios (juntamente com os muçulmanos de todo o mundo) estão jejuando. Vamos clamar a Deus em favor deles; para que cheguem a um entendimento do amor do Pai por eles por meio de Jesus Cristo.

Leia, medite e ore João 14. 20-29


15-06-18

Ramadan

“Naquele dia as nações buscarão a Raiz de Jessé, que será como uma bandeira para os povos, e o seu lugar de descanso será glorioso.”


Isaías 11:10

Hend é uma mulher de 20 anos que vive em uma pequena aldeia da Líbia. Ela ama o Ramadã, durante o qual os muçulmanos em todo o mundo jejuam desde o amanhecer até o por do sol. Hend começou o jejum pleno abstendo-se de todos os alimentos e líquidos, quando tinha apenas 12 anos de idade. Ela não foi forçada a começar o jejum tão jovem; ela escolheu jejuar, porque ela queria se sentir parte da comunidade muçulmana em todo o mundo.

Ramadan é também um tempo para recitar orações especiais e para ler todo o Alcorão. Este mês de jejum é um dos cinco pilares do Islã, que são obrigações muçulmanas que devem ser observadas para ir para o Paraíso. Neste mês, é possível dobrar suas recompensas de Deus e buscar o perdão de pecados passados. Antes do amanhecer, todas as manhãs, Hend e sua família se levantam para comer a última refeição e rezar a primeira oração do dia, e, em seguida, eles não comem ou bebem nada até quebrar o jejum após o pôr do sol. Depois de quebrar o jejum com tâmaras e leite, sua família se reúne na sala de estar e um de seus tios levá-los na oração do pôr do sol. Eles comem o jantar, em seguida, os homens da família irão à mesquita orar a oração final do dia, enquanto Hend, suas irmãs e sua mãe rezam em casa. O dia termina com uma oração voluntária do Ramadan, o Taraweeh, oferecida em quanto a congregação recita o Alcorão.

Hend ama estas noites. Além das orações especiais, também é tempo de comer e visitar amigos e vizinhos.Este ano de Ramada é menos festivo que os anteriores. Todos na família de Hend estão preocupados com o futuro. Eles estão desejando paz. Eles têm a esperança de que Deus vai ouvir suas orações do Ramadan, nas quais eles pedem por um futuro melhor.

Leia, medite e ore Efésios 2


15-06-11

Desafios de seguir a Jesus

Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!”

2 Coríntios 5. 17

“Minha vida mudou completamente desde o dia em que me tornei um seguidor de Jesus Cristo. Eu comecei a amar todas as pessoas incondicionalmente, não importa quem são ou de onde eles são. Eu aprendi a perdoar as pessoas quando elas erram comigo. Em outras palavras, eu me tornei uma nova pessoa.”

“No entanto, há muitos desafios que enfrentamos como um seguidor de Jesus na Líbia. Minha família e, especialmente, os meus pais, a pressão e constantemente me perguntam por que eu não faço o Salat – as cinco orações diárias no Islã. Às vezes, nas sextas-feiras, eu vou para oração na mesquita apenas para que eles pararem de assediar-me sobre isso. Meus pais são religiosos. Meu pai vai à mesquita e minha mãe lê o Alcorão todos os dias. Meu relacionamento com meus pais é tenso. Além do mais, vivemos em uma sociedade que valoriza honra e reputação; se as pessoas soubessem sobre minha fé, a reputação dos meus pais, bem como de toda a minha família, iria ser manchada . Eu seria considerado um escândalo, que iria seguir a minha família há anos.”

“Eu moro em uma sociedade muçulmana e, portanto, as leis islâmicas devem ser aplicadas. Em outras palavras, eu poderia ser morto por apostasia, por renunciar Islã.”

“Aqueles que se decidem por seguir a Jesus, na minha sociedade, sofrem todos os tipos de perseguição.”

Ramadan, o mês sagrado de jejum para os muçulmanos, começa dentro de uma semana. Muitos crentes, como nosso irmão líbio que escreveu as palavras acima, lutarão com as perguntas: “O que um seguidor de Jesus faz neste momento? Como faço para honrar a Deus e ganhar a minha família para Ele? Como posso viver minha vida como um seguidor de Jesus na minha cultura?”

Vamos ficar com eles em oração.

Leia, Medite e ore Atos 15.6-20


15-06-04

A história de dois Governos

“e disse: “Louvado seja o nome de Deus para todo o sempre; a sabedoria e o poder a ele pertencem. Ele muda as épocas e as estações; destrona reis e os estabelece. Dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos que sabem discernir. ”

Daniel 2:20,21

Desde Julho de 2014, Líbia tem sido comandada por dois governos: o Governo Nacional da Salvação, em Trípoli, e a Câmara dos Deputados, liderados pelo primeiro ministro Abdulla al-Thinni.

O governo se dividiu em dois após a eleição de 25 de Julho da Câmara dos Deputados. As tensões estavam elevadas, em parte, devido ao lançamento de uma campanha para expulsar os extremistas no leste do país.

Pouco antes dos deputados assumirem o cargo, as Brigadas Misrata – conhecida também como Amanhecer Líbio – atacou o aeroporto em Trípoli, resultando em uma batalha que durou duas semanas. O aeroporto foi completamente destruído e instalações do Petróleo Brega foram atacadas.

Julgando Trípoli instável, a maioria dos membros recém eleitos da Câmara dos Deputados concordou em mover o legislador de Tobruk. Uma vez estabelecida no Oriente, as Brigadas Misrata assumiu todos os ministérios do governo em Trípoli e estabeleceu o Governo de Salvação Nacional sob o primeiro-ministro Omar Al- Hassi .

Em outubro de 2014, o Supremo Tribunal líbio decidiu que a eleição de junho foi ilegal e exigiu a dissolução da Câmara dos Deputados. Nenhuma razão foi dada para a decisão, no entanto, e foi ignorado pela Câmara dos Deputados (em Tobruk) e pela  comunidade internacional.

A Missão das Nações Unidas de Apoio na Líbia (UNSMIL) tem trabalhado com líderes líbios de todos os lados para formar um governo unido. UNSMIL levantou um embargo de armas na Líbia condicionando-o a formação de tal governo. Enquanto isso, o Exército Nacional da Líbia (representando o governo em Tobruk ) – com o apoio do Egito – tem feito lobby para a remoção imediata dos embargos, dizendo que, na ausência de armas , o caos tem aumentado e presença do Estado Islâmico tem crescido.

Os dois lados do governo requerem certas “condições” a serem cumpridas antes de participar em negociações patrocinadas pela ONU. A Câmara dos Deputados sente que a comunidade internacional tem dado plataforma indevida aos islamistas (Trípoli), simplesmente porque eles “apareceram com armas”, após a perda da eleição.

Os islamistas alinhados com o Governo de Salvação Nacional acreditam que a tomada de Trípoli era justa e que, portanto, eles devem ter uma voz.

Enquanto isso, vários outros grupos, dentro e fora dos dois governos em conflito também estão competindo por suas próprias agendas, o que complica a tarefa de reparar a fratura.

A maioria dos líbios é alimentada com as disputas entre facções. Os cidadãos querem ver a estabilidade e a segurança restauradas para que eles possam voltar a viver vidas normais.

Enquanto tiramos tempo para orar pelo governo líbio esta semana, peça ao Espírito revelar os planos Dele. Que tipo de governo seria o mais benéfico para inaugurar a colheita?

Leia, medite e ore Isaías 9:6-7


15-05-29

Encorajamento vindo de Jesus

Eu me deitei e dormi; Acordei, porque Jeová me sustenta.

Salmos 3:5

Hamid estava aprendendo sobre Jesus e estava cativado. Escondido de sua família, ele discou para uma estação de TV cristã e decidiu seguir Jesus.

Então, enquanto a violência aumentava na Líbia, Hamid  e sua família decidiram deixar o país por um curto tempo. Durante a estadia deles no outro país, Hamid tentou- sem sucesso- ir à igreja. Sua família começou a suspeitar de sua devoção por Cristo e não ficaram felizes com isso. O medo cresceu até ele ficar aterrorizado com a possibilidade de voltar para Líbia.

Hamid teve um sonho no qual ele estava andando em um lugar escuro, apavorado e choroso. Ele encontrou um homem que perguntou a ele o que estava errado. “ Estou com medo de continuar minha viagem,” ele respondeu. “Está muito escuro.”

O homem falou, “Continue e você encontrará uma casa onde eles ajudam quem precisa.” Hamid continuo andando até encontrar essa casa. Ele bateu na porta e um homem barbudo, o qual era brilhante e vestia roupas brancas, abriu a porta. O homem perguntou a ele, “por que você está chorando?”

“Eu estou com medo de andar no escuro,” Hamid falou.

“Você está sob minha proteção,” o homem disse. “Nada deve  te assustar. Venha.”

Depois desse sonho, Hamid retornou para Líbia e permaneceu fiel à Jesus.

Khaled, outro crente, falou a um religioso homem como Jesus apareceu a ele em sonho. O home argumentou e tentou trazê-lo de volta ao Islã. Então um dia ele chamou Khaled e falou sobre um sonho no qual Jesus disse a ele que era templo de trabalhar para Ele. O homem decidiu se tornar seguidor de Jesus.

Até mesmo aqueles que têm pouco acesso ao Evangelho, Líbios estão respondendo quando Jesus os chama. Força humana e leis religiosas não podem manter Jesus fora. Adore o Senhor e peça a Ele por um derramamento maior ainda do seu Santo Espírito e revelação para os Líbios.

Leia, ore e medite Joel 2. 28-32


15-05-21

Instabilidade e Sofrimento Migrante

“Pois o Senhor, o seu Deus, é o Deus dos deuses e o Soberano dos soberanos, o grande Deus, poderoso e temível, que não age com parcialidade nem aceita suborno.

 Ele defende a causa do órfão e da viúva e ama o estrangeiro, dando-lhe alimento e roupa.”

Deuteronômio 10. 17-18

Em 18 de Abril deste ano, um barco de refugiados com mais de 700 pessoas virou no Mediterrâneo entre a Líbia e a ilha italiana de Lampedusa. Apenas 28 pessoas foram resgatadas.

As margens da Líbia estão  apenas 300 km distantes de Lampedusa. A ilha está abrigando centenas de imigrantes ilegais.

Líbia é frequentemente usada com um país de trânsito por migrantes africanos. Depois da revolução de 2011 que derrubou Gadhafi, o tráfico de pessoas um crescente negócio. Líbia tem 1770 km de costa e 5000km de fronteiras do deserto que são escassamente populadas. Sem uma autoridade central efetiva nos lugares, o tráfico está funcionando abertamente. As milícias que controlam a maior parte da Líbia estão ilegalmente fazendo vastos montantes de dinheiro em tráfico de pessoas, até mesmo se organizando ou cobrando de grupos que passam por seus territórios. Devido ao aumento de demanda, o tráfico está cobrando mais. Com cada barco sobrecarregado que saí da Líbia, eles fazem milhares de dólares.

Alguns contrabandistas até mesmo usam o Facebook para se tornarem conhecidos pelos desesperados que querem fugir da guerra e pobreza do Oriente Médio e África.

De acordo com a Nações Unidas, mais de 110.000 migrantes atravessaram o território líbio apenas em 2014. Pelo menos 1300 dessas morreram apenas na primeiras três semanas de Abril, colocando 2015 na linha para ser o ano mais  mortífero para migrantes.

Como esta imigração ilegal pode ser parada? Como os problemas que fazem com que esses migrantes arrisquem suas vidas tentando e atravessando para a Europa podem ser resolvidos? É um problema multifacetado: pobreza, guerra, gananciosos contrabandistas, governos indiferentes e oficiais corruptos. Jesus nos disse que Deus sabe quando uma folha caí no chão, então quanto mais valem a vidas destes migrantes?

Acalme seu coração perante Deus e peça ao Espírito Santo que te dê Seus pensamentos para orar pelos migrantes, pelos contrabandistas e pelos governos indiferentes ( da Líbia, Africano, do Oriente Médio e Europeu). A igreja global tem uma responsabilidade?

Leia, medite e ore Mateus 25.31-46


15-05-15

O caminho, a Verdade e a Vida

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.”

João 14:6

Yahyah cresceu em um ambiente tipicamente islâmico. Ele começou a estudar o Corão quando completou 8 anos. Depois do Ensino médio, ele se tornou amigo de um jovem chamado Radwaan. Radwaan têm seguido a Jesus à alguns anos, mas ele não disse isso a  Yahyah no inicio. Meses depois ele contou-lhe sobre sua fé, Yahyah ficou chocado. Ele decidiu parar de falar com  Radwaan, pois ele era um “infiel”. Mas duas semanas depois Yahyah estava decidido a se reconciliar com seu amigo e descobrir o porquê ele rejeitou o Islã.

Eles passaram horas e dias discutindo as duas religiões. Yahyah tentou defender o Islã e destruir  a fé de Radwaan , mas ele descobriu que seus próprios argumentos eram fracos e sem fundamentos comparados aos de Radwaan.

A confusão de Yahyah aumentou dia após dia.  O debate revelou que sua fé não era sincera, simplesmente algo que ele havia herdado de sua família. Ele renunciou o Islã. Ele se tornou ateísta e desprezava aqueles que eram religiosos, especialmente muçulmanos e cristãos. Rapidamente ele caiu em depressão. Sua mente o disse para não mais pensar em Deus, mas seu coração estava buscando um salvador.

Então ele teve um sério acidente de carro e milagrosamente sobreviveu. Quando ele se recuperou, ele considerou seu destino eterno. Para onde ele iria depois da morte? Se Deus fosse real, ele iria para o céu ou para o inferno? Fervorosamente ele buscou a verdade e pesquisou na internet para aprender mais sobre Jesus. Quanto mais ele lia sobre Jesus, mais ele O amava, mas às vezes alguma coisa falava para ele ficar longe de Jesus.

Um dia ele começou a chorar desesperadamente, clamando à Deus para revelar-se. Pouco depois Yahyah teve um sonho. Um homem vinha a ele, seus braços estavam abertos como se fossem abraçar Yahyah. Tudo que o homem disse foi “ Jesus”. Yahyah acordou sabendo que Jesus era a Verdade, o Caminho e a Vida e imediatamente aceitou- O como Senhor e Salvador.

Leia,medite e ore João 10. 9-16


15-05-07

Efeitos da Violência em

Curso e Instabilidade

“ Vi ainda todas as opressões que se praticam debaixo do sol: eis as lágrimas dos oprimidos! E não tinham consolador. Do lado dos seus opressores havia poder, mas eles não tinham consolador.”

Eclesiastes 4:1

Uma briga surgiu durante o jogo com bola das crianças. O calor e umidade fazem com que todos fiquem irritados, mas a incerteza no país era a verdadeira fonte das tensões adjacentes. Assim que as crianças começaram a gritar e bater umas nas outras, um dos pais veio e bateu em um dos ofensores de seu filho. Ele correu para casa e contou para seu pai o que tinha acontecido. Nervos, ele pegou uma de suas armas enquanto saía gritando ofensas à criança e seu pai. Com o puxar do gatilho, o homem matou seu vizinho.

Como a notícia se espalhou, os irmãos e primos do homem assassinado viajaram de suas cidades para o lugar onde o morto morava, trazendo mais revolveres e maiores armas. Por vingança, eles mataram o assassino e destruíram a casa dele com granadas.

De acordo com uma pesquisa de Outubro de 2013, aproximadamente  um terço dos líbios estavam sofrendo de problemas de saúde mental devido à violência em curso e falta de lei. A situação pode ter piorado depois disso As pessoas estão cansadas de violência, mas não há limite para a amargura e ódio. Seus sonhos sobre um futuro foram destruídos. Vamos elevá-los ao trono de Graça, para que seus ouvidos sejam abertos à voz do Bom Pastor.

Leia, ore e medite Isaías 30.15-21


15-05-01

Trabalhadores

“Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos”

João 15:8

Na história recente da Líbia, ela tem atraído estrangeiros da África, Ásia, Oriente Médio com oportunidades de trabalho e atrativos salários. Alguns são altamente qualificados e trabalham como médicos, engenheiros de projeto, empresários e na educação. Os menos qualificados fazem trabalhos braçais, juntando o máximo que conseguem e enviando para parentes em casa.

O número de estrangeiro tem diminuído devido à violência e instabilidade política, mas muitos permaneceram. Alguns desses estrangeiros são cristãos nominais que vêm sua religião como parte de sua identidade cultural, enquanto outros estão em um relacionamento com o Deus vivo. Entre eles estão aqueles que vêm seu trabalho como extensão do seu chamado para ser luz e sal do mundo.

Entretanto, a maioria dos crentes está sendo silenciada pelo medo. Durante alguns anos passados alguns têm sido mortos, atacados ou detidos por causa de sua fé. A mensagem parece ser esta: mantenha o perfil quieto e não compartilhe o Evangelho.

Essa semana muitos países comemoram o Dia do Trabalhador. Peça ao Senhor da colheita para enviar mais trabalhadores e chamar trabalhadores de dentro e fora da Líbia para o campo de colheita. Peça ao Santo Espírito para revelar os obstáculos que impedem os crentes de responder Seu chamado, e ore para que eles superem.

Leia, medite e ore Romanos 10. 13-16


15-04-23

Sebha

“Contudo, Nínive tem mais de cento e vinte mil pessoas que não sabem nem distinguir a mão direita da esquerda, além de muitos rebanhos. Não deveria eu ter pena dessa grande cidade? “

Jonas 4:11

Sebha é uma cidade do deserto localizada próxima a um oásis no sudoeste da Líbia, com população de aproximadamente 130000. Historicamente, ela foi a capital da região de Fezã. Ela foi uma das fortalezas de Gaddafi e a última cidade a ser dominada pelos rebeldes durante a revolução de 2011.

Desde 2012, etnias árabes e tribos negras Africanas têm entrado em choque uma contar a outra, competindo pelo poder local e reconhecimento internacional. Tensões entre combatentes da tribo Africana Tebu e tribos de etnia árabe mantém um constante fator de instabilidade.

Devido à falta de controle governamental, as regiões fronteiriças do sul oferecem um seguro refúgio  e ideal cénario para redes extremistas islâmicas regionais. No ínicio de 2015 filiados do Estado Islâmico lançaram um ataque perto de Sebha contra soldados do governo e mataram 14 deles.

Sebha é uma importante cidade de trânsito para viagens saarianas de caminhões com carga pesada em direção, por exemplo, `a Chade, Nigéria e Argélia. Espiritualmente essa cidade é muito sombria e pesada. Mulheres estão envolvidas com ocultismo e bruxaria e são procuradas para colocar maldições sobre outras pessoas. Ainda assim, há algumas sementes do Evangelho sendo semeadas na cidade:

Há muitos anos uma família de cristãos egípcios coptas foi vizinha da família de Hamila, em Sebha. Hamila e suas irmãs brincavam com as crianças e ficaram muito curiosas sobre as celebrações religiosas diferentes. Em uma Sexta- feira Santa, Halima perguntou a eles sobre esse dia específico. Seus amigos estavam a ponto de explicar, quando sua mãe interrompeu e rapidamente levou suas crianças embora. Anos mais tarde, Halima ( que se mudou para uma cidade diferente) continuava se perguntando o porquê  daquela família estar tão temerosa em falar sobre sua fé, pórem o mais importante, esse incidente despertou nela a curiosidade sobre a Sexta-feira Santa e Jesus.

Leia, medite e ore Jonas 3: 5- 10


15-04-17

Famílias dos Cristãos

“Mas Deus estruturou o corpo… mas, sim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros.

Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele.”

1 Coríntios 12:24-26

Um estrangeiro árabe e seus amigos foram espancados e presos sob acusação de  proselitismo. Enquanto sua esposa experimentava a graça de Deus,  também sentia uma furiosa batalha dentro dela. O proprietário e os vizinhos estavam pressionando-a para sair. Quando ela tentou visitar seu marido na prisão, a polícia e autoridades a trataram com hostilidade. O medo a atormentava. “ Estou fazendo as decisões certas? Deveria ter feito as coisas de forma diferente?” Seus filhos foram expulsos da escola e excluídos pelos amigos. Um dia eles visitaram seu pai, cujo rosto ensanguentado indicava que estava sendo espancado. Seu filho mais novo vomitou quando chegaram  em casa e sofreu de pesadelos.

As famílias de cristãos na Líbia conhecem sofrimento. Seus familiares incrédulos os pressionam para renunciar sua fé. Alguns cristãos não conseguem achar empregos para sustentar suas famílias. Suas crianças são expulsas da escolas. Outros temem que seus cônjuges e filhos possam ser sequestrados ou mortos. Essa pressão deforma relacionamentos e casamentos. A tática do inimigo é intimidar e trazer divisão.

Vamos permanecer com os cristãos locais e suas famílias em seus sofrimentos, e os elevar ao trono de Graça.

Meditação da Semana: Salmos 18


15-04-09

Revelação de Jesus

“Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.

Respondeu Jesus: “Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus.”

Mateus 16:16-17

A pergunta queimava em mim. “Ahmed, você sonha?”

“Sim, é claro.” Ele falou.

“Você alguma vez sonhou com um homem de branco?”

“Sim!”   respondeu ele.

“ Bem, Ahmed, me conte o que você tem visto.”

Ele me contou que viu isso muitas vezes em seus sonhos, mas ele não sabia quem era. “Mas ele me instruía a fazer coisas, como visitar minha solitária avó, e dar dinheiro aos pobres.”

Eu sorri. Sim, eu conhecia esse homem, mesmo que nunca tivesse o visto em um sonho. Eu perguntei “ E você fez essas coisas mesmo não sabendo quem ele é? Quero dizer, você não sabe se ele é bom ou se é mal. Quem é ele?”

“Oh, ele é um bom homem”, Ahmed respondeu convictamente. “ Eu sei disso com certeza.”

Eu falei para Ahmed que a próxima vez que o homem viesse a ele no sonho, que perguntasse seu nome.

Ore por Ahmed e outros tantos como ele, os quais estão preparados para revelação do próprio Filho do homem.

Leia, medite e ore João 3. 13-18


15-04-02

Quem é Jesus?

“ Ele é a imagem do Deus  invisível, o  primogênito sobre toda a  criação.”

Colossenses 1.15

Ali é um comerciante em Medina, a cidade antiga. Quando Susan, uma estrangeira, entrou em sua loja, ele a perguntou: ‘Você  é  cristã ou muçulmana ?” Ela respondeu que era cristã. Ele sugeriu então que ela lê-se o Corão, pois nele há um capítulo sobre Jesus e Maria. Ela respondeu que tudo o que precisava saber já  estava na Bíblia.

“ Então o que a bíblia tem?” Ali queria saber.

“Tudo o que eu preciso para a vida” Ela disse.

Ali estava se preparando para um debate. “Quem é Jesus?” ele perguntou. Susan falou que Jesus era o Verbo de Deus.

“Quem é Deus e onde ele  está?” Ali emendou.

“Ele é o criador do universo, Ele está no céu e seu Espírito está  tão próximo a você quanto sua jugular. E você sabe quem o Corão e a Bíblia dizem que nunca pecou?”

Ali respondeu que todos pecaram. Susan permaneceu calada,  então Ali sugeriu que nenhum dos mensageiros (profetas) pecou. Susan replicou que apenas uma pessoa  não pecou.

“Então foi Jesus?” Ali quis saber, agora já ansioso para saber a  resposta.

Susan respondeu: “Como cristãos, não acreditamos simplesmente em tudo que ouvimos, procuramos nas Sagradas Escrituras e pedimos a Deus para nos mostrar.”

Muitos  líbios podem dizer que acreditam em Jesus. Eles reconhecem que ele é a Palavra de Deus, mas para eles, Jesus foi apenas um bom homem, um profeta de Deus. Eles negam Sua morte na cruz ( e assim também sua ressurreição) e que Ele é o Caminho ao Pai. Apenas o Espírito de Deus pode revelar ao homem que Jesus é o Filho de Deus. Vamos continuar pedindo por esta revelação para  nossos amigos no Líbia.

Leia, medite e ore João 1: 1-37


15-03-26

Sirte

Ele dá fim às guerras até os confins da terra; quebra o arco e despedaça a lança, destrói os escudos com fogo.

“Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus! Serei exaltado entre as nações, serei exaltado na terra.

Salmos 46: 9-10

 

O degolamento de 21 cristãos coptas por filiados do ISIS na Líbia chocou o  mundo. Os cristãos foram sequestrados  um mês antes em Sirte, uma cidade costeira que fica entre Tripoli e  Bengasi.

Sirte serviu como um centro administrativo sob domínio  italiano, o qual durou de 1911 até 1934. Quando petróleo foi descoberto perto, a vila cresceu em notoriedade e sua população expandiu para quase 80000. Ela foi também a cidade natal de Gaddaf. Ele nasceu lá, e por fim, morreu lá. A riqueza de Gaddaf financiou grande parte do desenvolvimento da cidade. Ela se tornou conhecida como a cidade rica com casas luxuosas, as quais, em sua maioria, foram completamentes destruídas durante a revolução.

Sirte se expandiu como uma base de operações para militantes desde o levante que derrubou Muammar Gaddafi, em 2011. O governo estimou que aproximamente 1000 militantes estão instalados na cidade.

Em dezembro de 2014 um médico cristão egípcio e sua esposa foram mortos dentro de casa nessa mesma cidade. Os agressores também sequestraram sua filha de 13 anos.. Seu corpo foi achado dias depois. O presidente do conselho local de Sirte afirmou que os ataques foram por motivos reliogosos.

A cidade é uma fortaleza do Ansar  alSharia, um grupo islâmico na lista negra das Nações Unidas. A coligação islâmica Fajr Libya (Madrugada Libia) controla algumas partes de Sirte. Em dezembro, eles lançaram ataques contra instalações de petróleo  próximas. Em fevereiro, um grupo armado atacou o campo petroleiro Mabruk a 170 quilômetros ao sudoeste de Sirte, matando 4 guardas e capturando 3 trabalhadores Filipinos. Os agressores alegaram pertencer ao Estado Islâmico (ISIS / EI).

Enquanto tiramos esse tempo para orar por Sirte, peça ao Espírito Santo para reveler o coração de Deus e seus propósitos para a cidade. Nos de um feedback em info@pray4libya.net

Leia, medite e ore Salmos 75


15-03-19

Mães

Como pastor ele cuida de seu rebanho, com o braço ajunta os cordeiros e os carrega no colo; conduz com cuidado as ovelhas que amamentas suas crias.

Isaías 40:11

Mães são altamente respeitadas na cultura Líbia. Alguém uma vez explicou, “Os céus ficam debaixo dos pés das mães. Você deve ser bom para com sua mãe. Se você não a tratar bem, ela pode dizer a Deus e você estará em apuros, porque ela tem um relacionamento especial com Deus”.

Fátima mantém uma gravação de seu filho mais velho em seu celular que foi feita durante a revolução. Neste vídeo ele explica quais são suas razões para lutar na revolução. Ele estava vivendo na Malásia e decidiu retornar para ajudar seu país.

Um dia ele ligou para seus pais para lhes dizer que queria lhes vez no horário do almoço. Fátima ficou muito animada pois o veria depois de bastante tempo (ela não o tinha visto desde seu retorno da Malásia). Entretanto, naquela tarde alguns homens chegaram à sua porta com o corpo de seu filho – que acabara de ser morto em um conflito. Aquele foi o último dia da revolução.

Tem sido muito difícil para Fátima lidar com sua morte. Felizmente uma família se mudou para a vizinhança e as crianças lhe trazem um pouco de conforto.

Na semana de 21 de Março o dia das mães será celebrado na Líbia. Para muitas mães esta será uma triste ocasião, uma lembrança dos filhos que perderam não somente durante a revolução, mas também na onda de violência posterior. Outras vivem em medo e tentam manter seus filhos em segurança. Eles se preocupam todas as vezes que seus filhos saem às escolas ou mercados.

Leia, medite e ore sobre Mateus 11:25-30


15-03-12

Um Saul Atual?

Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos.

Mateus 5:44-45

Adbullah é um Muçulmano devoto. Seu objetivo na vida é encorajar muçulmanos a serem melhores muçulmanos e converter não muçulmanos ao Islã. Ele ainda trabalha em uma empresa de segurança do governo.

Um dia sua equipe prender Ayoub, um estrangeiro Árabe crente com acusações de proselitismo. O líder de sua equipe ordenou que Abdullah espancasse Ayoub. Abdullah parou e telefonou ao seu líder religioso e perguntou: “Se eu bater neste homem, Deus se alegrará?” “Sim”, foi sua resposta. Então Abdullah espancou Ayoub. Antes de tudo, ele queria agradar a Deus. Ele bateria em Ayoub e depois retornaria e tentaria convertê-lo ao Islã.

Um outra vez ele foi ordenado a confiscar a bíblia de Ayoub. Ele portanto, telefonou mais uma vez ao seu líder religioso e perguntou: “Deus se alegrará se eu tirar essa bíblia dele?” Novamente a resposta foi: “Sim”.

Tempo depois de sair da prisão, Ayoub telefonou a Abdullah algumas vezes. Inicialmente Abdullah não era muito amigável. Se perguntava: “Porque será que Ayoub está me ligando? Será que ele não deveria me odiar por todas as vezes que eu bati nele?” Mas Ayoub não mencionava os espancamentos; ele somente falava sobre o amor de Deus. Com o tempo, Abdullah começou a amolecer o coração.

Algumas vezes Abdullah falou sobre o Islã e sobre como ele serve a Deus e ora. Ayoub então compartiilhou do amor de Deus o que quer dizer ter um relacionamento com o Deus vivo.

Abdullah conhece os 99 nomes de Deus no Corão. Ele sabe que Deus é grande e poderoso, mas ele não sabe que Deus é amor e que Deus o ama.

Leia, medite e ore sobre Atos 9:1-21


15-03-05

Medos dos Crentes

“Eu lhes digo, meus amigos: não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer. Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam aquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no inferno. Sim, eu lhes digo, esse vocês devem temer.

Lucas 12:4-5

Ahmed é um cristão novo que se converteu através de um programa de TV. Ele fica muito animado ao saber que existem outros como ele e os contata online, mas ele tem bastante medo de encontrá-los face a face. “Como posso saber que posso confiar neles e que não me entregarão à polícia” ele se pergunta.

Durante um período de 03 meses de jejum e oração pela Líbia, alguns cristãos estrangeiros decidiram por separar 03 dias para focar em destruir o espírito do medo. Na semana seguinte alguns deles foram detidos e presos; Alguns irmãos Egípcios foram torturados e um chegou a ser morto como resultado.

Desde então tivemos mais notícias de pessoas sendo mortas ou presas por conta de sua fé. Levar o nome de Cristo é algo perigoso na Líbia e, obedecer à grande comissão pode custar sua vida. Alguns crentes estrangeiros são tratados de maneira mais branda, mas os cristãos locais não têm leis para os proteger. Em realidade, as leis os condenam. Muitos crentes têm medo que algum membro de sua família os mate em um ‘ato de obediência’ à Deus. Algumas vezes alguns empregadores retém os salários quando sabem que um empregado é cristão. Alguns grupos religiosos existem somente com objetivo de matar àqueles que professam o nome de Jesus. O medo impede que nossos irmãos e irmãs de compartilhar as Boas Novas e ter comunhão juntos.

Você pode separar um tempo para orar pelos Líbios cristãos nesta semana? Peça ao Espírito Santo para te guiar e como destruir o espírito de medo sobre os crentes.

Leia, medite e ore sobre Mateus 10:16-33


15-02-26

Percepções sobre o Cristianismo

Sejam sábios no procedimento para com os de fora; aproveitem ao máximo todas as oportunidades.
O seu falar seja sempre agradável e temperado com sal, para que saibam como responder a cada um.

Colossenses 4:5-6

Fátima é uma mulher solteira em seus vinte anos e que vive em uma cidade pequena. Ela nunca sai sem seu véu à presença de homens (exceto seu pai, irmãos, sobrinhos e, um dia, seu próprio marido) e ela prefere vestir um casaco longo quando sai de casa. Ela sabe que a reputação de uma mulher deve ser preservada, então ela se veste moderada e respeitosamente. Ela ama as tradições e festas religiosas que celebra junto sua família. Estas a fazem se sentir parte não só de sua família, como também da sociedade da Líbia e da vasta comunidade muçulmana ao redor do mundo.

Fátima não conhece muito sobre o Cristianismo, mas o que ela foi levada a crer a deixa indignada. Cristãos vestem roupas não moderadas e que mostram muito o corpo. Eles bebem e fumam e têm relações antes do casamento. Sua família odeia os rumores que algumas pessoas querem ‘Cristianizar’ a Líbia. Eles abominam a idéia de mulheres saindo de casa vestindo suas minissaias e fumando. Eles não querem o estilo de vida corrupto dos Cristãos que eles vêem em filmes de Hollywood espelhado em sua sociedade.

Algumas mulheres desejam ter maior liberdade e poder escolher se querem vestir o véu ou não. Mas mesmo elas ainda vêem o Cristianismo negativamente, como algo ocidental.

Uma revelação de quem Jesus realmente é e o que quer dizer ser um seguidor é necessário para atraí-los a Ele. Como podem nossas vidas dentro e fora da Líbia contribuírem para que eles vejam a Jesus? Como podemos orar pelos cristãos estrangeiros e pelos Líbios?

Leia, medite e ore sobre Romanos 12


15-02-19

Benghazi
Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas, e as trevas não a derrotaram.
João 1:4-5

No oriente da Líbia está localizada Benghazi, a segunda maior cidade da Líbia. Na data de 15 de fevereiro, o porta voz das vítimas do massacre de 1966, Abu Salim foi preso. A pequena demonstração pacífica que se seguiu terminou de maneira violenta dois dias depois quando a polícia abriu fogo, matando 14 pessoas. Esse foi o início da revolução que levou à queda de Gaddafi e ao estado de caos que ainda governa a nação.

Historicamente, o povo de Benghazi é conhecido como cuidadores e protetores de qualquer pessoa que chega à eles. Assim como o símbolo da cidade, um farol antigo, Benghazi serviu como um farol de segurança aos perdidos. Mas agora, a cidade está espiritualmente perdida como nunca.

Desde o ano de 2011, membros do exército, polícia e ativistas sociais foram assassinados a sangue frio – em mesquitas, escolas e até dentro das casas. Os conflitos continuam diariamente entre as milícias e partidos. Muito sangue inocente já foi derramado.

Uma mulher expressou sua frustração após uma nova série de conflitos: “Prédios são construídos em pedras e cimento e nós podemos reerguê-los novamente. Mas as almas dos jovens de Benghazi estão sendo massacrados pelos terroristas”.

Nos últimos dois anos também houve um aumento nos ataques e mortes de cristãos estrangeiros e igrejas. Muitos Cristãos ou deixaram seus lares ou foram forçados à deixar cidades e o país.

Ao separar tempo para orar nesta semana, peça pela misericórdia de Deus aos Benghazi. Peça ao Espírito Santo que revele a vontade de Deus para esta cidade e seu povo.

Leia, medite e ore sobre Isaías 59


15-02-12

4º Aniversário da Revolução de 17 de Fevereiro.

“… Aquele cuja voz outrora abalou a terra, agora promete: “Ainda uma vez abalarei não apenas a terra, mas também o céu”. As palavras “ainda uma vez” indicam a remoção do que pode ser abalado, isto é, coisas criadas, de forma que permaneça o que não pode ser abalado”.
Hebreus 12:26-27

Khaled tem 30 anos e vive em uma cidade a poucas horas de Tripoli. Quando a revolução começou, ele rapidamente se juntou a eles quando chegaram à sua cidade. Alguns meses depois ele comentou, “Estes últimos meses foram como um verdadeiro inferno. A guerra é feia – Eu não sabia disso. Gaddafi não é humano, ele é um verdadeiro demônio. Eu estive perto da morte tantas vezes. N´s lutávamos todos os dias para nos manter vivos até o dia que os rebeldes vieram e nos libertaram. Aquele foi um dia santo, o dia da nossa vitória”.

Dois anos depois, desencorajado com a violência desenfreada e agressões contra estrangeiros, ele disse, “Alguns destes chamados revolucionários fizeram as coisas mais horríveis contra civis em nome da revolução”.

Como muitos outros Líbios, Khaled desejava deixar o país, mas decidiu ficar por sua família. Agora, três anos depois, desapontamento e desespero tomaram conta: A coisa mais triste é que inocentes ficam entre o fogo cruzado, como se a vida não valesse nada. O povo daqui sofre todos os dias com roubo à mão armada, fogo cruzado e assim em diante. Hoje eu entendo que o problema não era o Gaddafi. Os Líbios são muio vazios – e quando eles têm a chance eles mostram as trevas dentro deles. Talvez isso seja a natureza humana. Algumas vezes eu me sinto desesperado. É realmente assim que somos? Essa é a verdadeira natureza humana? Eu quero vive rem um lugar de paz, sem guerras, sem ódio. Eu me sinto perdido e louco dentro desta situação, pensando.. será que há uma luz no fim do túnel?”.
Leia, medite e ore sobre Oséias 2: 14-23


15-02-05

Vida aos Jovens

“Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro”.
Jeremias 29:11

A violência sem fim desde que a revolução se iniciou impacta as crianças da Líbia, destruindo suas vidas em um ambiente de medo.
Ahmed tem 13 anos. Enquanto está na escola realizando suas últimas provas uma bomba explodiu a somente duas quadras de distância. Para ele isso é algo tão normal que ele levantou a cabeça, abaixou e seguiu realizando sua prova. Mas quando um avião militar voou bem baixo acima da escola dois dias depois, ele e seus amigos da escola se abaixaram e começaram a suar frio. Eles pensaram que estavam sob ataque.

Seu irmão Mahmoud tem 15 anos. Um dia ele dormiu na sala de aula e quando o professor bateu com sua régua na mesa e acordou aos prantos.

Em tempos de maior segurança o Ahmed jogava futebol na rua com seus amigos. Seus pais não o deixam brincar mais. Eles tem medo que ele seja seqüestrado. Algumas vezes seu pai e vizinhos vigiam todo o bairro antes de deixarem as crianças sairem sob seus olhares de vigia.

Assim como todas as famílias locais ele sabe. A família de Ahmed tem armas para proteção. Até seu irmão Mahmoud anda armado.

Ahmed sente tédio em casa. Ele se sente frustrado e nervoso e, ainda assim, não há nada que ele possa fazer para mudar a situação. Algumas vezes ele quer bater em alguém para despejar toda a raiva que existe dentro dele. Uns dias atrás quando seu amigo tomou sua caneta favorita ele se exaltou. Ele sentiu que poderia ter matado o colega caso seu professor não o detivera.
Leia, medite e ore sobre Isaías 11:1-10


15-01-22

Derna

pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.
Efésios 6:12

Derna é uma cidade portuária situada ao leste da Líbia com uma população de 100.000 pessoas. Ela fica entre as Montanhas verdes, o Mar Mediterrâneo e o deserto. A cidade é lar para povos de origens miscigenadas.

A cidade de Dema é ainda uma Fortaleza para alguns grupos radicais como o ANsar al-Sharia, listado pela ONU como uma organização terrorista. Em abril de 2014, o grupo anunciou que tinha implementado a lei Islâmica (“Sharia”) na cidade. O tão proclamado “Conselhor Jovem Islâmico Shura” inaugurou tribunais Islâmicos e estabeleceu a polícia religiosa neste lugar. Dezenas de homens mascarados já apareceram em roupas militares e, regularmente desfilam em seus caminhões se vangloriando com seus mísseis e metralhadoras, mostrando as bandeiras em cores preta e branca usada pelos Jihadistas. Em agosto, o Conselho Shura postou na web um vídeo de execução pública no estádio de futebol de Dema, de um Egípcio acusado de assassinato.

Dema tem uma longa história com o radicalismo islâmico. A cidade foi marginalizada durante a era de Gaddafi e enviou o maior número de estrangeiros per capita ao Al-Qaeda no Iraque do que qualquer outra cidade no Oriente Médio. Outros ainda, saíram de Dema para se unirem ao grupo terrorista ISIS na Síria. A maior parte dos jihadistas mais velhos da Líbia é formada por ex-membros do Al-Qaeda e existe uma luta ideológica entre eles e os seguidores do ISIS.

Em Novembro de 2014, algumas facções em Dema se aliaram ao ISIS (e à liderança de Abu Bakr Al Baghdadi), mas ainda não é claro quantos são e quanto apoio eles têm. Nos mesmo mês, os corpos de três ativistas opositores ao ISIS foram encontrados decapitados na cidade. Os três, que compartilharam informações a respeito de Dema nas redes sociais haviam sido seqüestrados semanas antes. Dema parece ser uma cidade com um peso espiritual tenebroso.

Separe tempo em louvor e adoração enquanto você coloca a cidade de Dema no trono de Deus. Convide sua verdade e luz à Dema. Peça ao Espírito Santo que revele o coração de Deus aos habitantes de Dema e aos grupos extremistas. Quais são os planos de Deus à eles? Você pode enviar palavras ou textos bíblicos a respeito deste tema para o endereço: info@pray4libya.net ou postar em seu perfil no Facebook ou Twitter.
Leia, medite e ore sobre 2ª Crônicas 20:15-22